Tamara Braga, da Gupy: ‘Não podemos achar que diversidade se resume ao RH’

Tamara Braga, líder de diversidade e inclusão da Gupy
Tamara Braga, líder de diversidade e inclusão da Gupy, é convidada do primeiro episódio do Flash Talks

Segundo o Instituto Ethos, 4,7% dos cargos de liderança são ocupados por negros. Uma outra pesquisa, conduzida pela Bain & Company e pelo LinkedIn, mostra que o Brasil tem apenas 3% de CEOs mulheres.

Isso sem falar nas pessoas com deficiência, que são 45 milhões de brasileiros, de acordo com dados do IBGE, só 1% deles inseridos no mercado de trabalho formal.

Mas, afinal, o que as empresas perdem ao não contemplar a diversidade, seja no quadro de funcionários, seja na estratégia do negócio? 


Para responder essa e outras perguntas, nós convidamos Tamara Braga, líder de diversidade e inclusão da Gupy, para participar do primeiro episódio do Flash Talks, o programa de entrevistas da Flash com alguns dos RHs mais inspiradores do Brasil.

O que vem antes: diversidade ou cultura corporativa?

Com passagens por empresas como Ambev, Heineken, Whirlpool e Coca-Cola, a executiva conversa com Alana Azevedo, diretora de pessoas e cultura da Flash, e mostra o porquê devemos levar o debate sobre pluralidade para além da esfera do RH. 

Assista ao teaser do Flash Talks:

Muito além do RH

“Quando fui trainee na Whirlpool, percebi que os produtos não eram acessíveis e que podíamos mudar essa realidade. Em 40 dias, usando metodologias ágeis, nós criamos um adesivo tátil para que pessoas que não enxergavam conseguissem mexer na geladeira”, diz Tamara Braga.

E continua: “Cerca de 24% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. É um grande volume de consumidores que desconsideramos quando criamos processos e produtos. Essa é a importância de falar de diversidade em todos os âmbitos da organização e de não achar que ela se resume ao RH.”

Quer assistir ao episódio completo? Clique neste link.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.